TRENDING NEWS

recent

AVP: Alien Vs Predador Review


É com filmes como este que vemos em que estando anda Hollywood em termos de criatividade. A exemplo do já visto por aqui Freddy Vs Jason, pela New Line Cinema, aparece este Alien Vs Predador pela 20th Century Fox, detentora dos direitos de ambos... os monstros. Todos pensam que a ideia surgiu primeiro, depois dos breves segundos no Predador 2, em que há uma clara referência a um encontro entre os dois monstros - feita apenas por brincadeira pela produção do filme - mas a verdade é que sensivelmente um ano antes do filme sair, já tinha saído uma mini-série através da Dark Horse Comics, editora de BD. E o sucesso foi tanto, que ambas as raças começaram a aparecer em tudo o que era crossovers, inclusive um não muito bom Aliens Vs Predador Vs Exterminador Implacável que era uma continuação do filme Alien: Ressurreição.

Houve de tudo, Aliens Vs Batman, Aliens Vs Super-Homem, Predador Vs Batman (encontraram-se por 3 vezes!), Lanterna Verde Vs Aliens, Judge Dredd Vs Aliens, Judge Dredd Vs Predador, Liga da Justiça Vs Predador, Tarzan Vs Predador (este tenho eu), Super-Homem e Batman Vs Aliens e Predador, e claro, voltando sempre aos velhos Aliens Vs Predador. Sem contarmos também com as milhentas adaptações para video-jogos que começaram no início dos anos 90, para a Nintendo. Pode-se então dizer que quando este filme saiu, a coisa não era propriamente nova. Posto isto a expectativa era apenas de como a transição seria feita, ou seja, argumento-méquié? 

E após umas primeiras boas indicações - como o facto de Lance Henriksen (Aliens: O Reencontro Final) estar presente como Charles Weiland Bishop, o criador da companhia, dando assim a motivação para a companhia andar sempre tão interessada nos Aliens - o combustível acaba-se rapidamente. A história é simples, os predadores usam um sítio remoto no planeta terra como ritual de iniciação, uma pirâmide de uma civilização pré-egípcia e pré-azteca, onde atinge a maioridade aquele que conseguir ser triunfante com o a temível raça xenomorpha. Acontece que alguma coisa dá para o torto e numa medida desesperada, os predadores suicidam-se, levando consigo os aliens e os pré-egípcios e os pré-aztecas que os adoravam como deuses. Quando um satélite detecta uma fonte de calor vindo da Antárctica, Bishop acredita ter encontrado algo de muito valioso e rapidamente reúne uma expedição para explorar o sítio. 

Depois algum idiota acorda uma rainha adormecida que começa a pôr ovos e vêm os predadores, presume-se para mais um ritual de iniciação. Até aqui tudo mais ou menos bem. O pior é que não há mais história depois disto. É acção. Outra coisa não seria de esperar, afinal são ambos monstros e logo aí, os diálogos ficam de parte. Ou melhor, deveria ficar, só que como isso seria extremamente incomercial (inventei agora mas ainda não registei), lá uma humana (Sanaa Lathan - Blade) tem que ficar aliada de um dos lados. Embora os predadores sejam, sem dúvida, a mais sociável das duas raças, a maneira como ele a aceita como aliada destrói um pouco o espírito da personagem. A rapidez com que os ovos dos aliens maturam e se tornam no bicharoco asqueroso que todos gostamos também cheira bastante mal. Tudo se resume a alguns pontos: 90 minutos, o mais rápido e simples possível com muita acção. E é só, o resto não interessa. Como a premissa é esta, deve ser encarado como algo inconsequente, um filme para americano ver, que se vê bem e é daquele tipo de filme que se deve ver quando se pretende descansar. Principalmente o cérebro.
Realizado por Paul W. S. Anderson (Resident Evil - o que também já explica alguma coisa).

Nota 5/10


Tags

Related Posts

CinemaTV

Sem comentários:

Enviar um comentário

Imagem
World Of Metal
World Of Metal - Zine, Radio and TV - Support Us On Patreon!

World Of Metal - Zine, Rádio e TV - Apoie-nos no Patreon!

random
World Of Metal. Com tecnologia do Blogger.